Luna+32+-+Disney+(187).JPG
/ Blogagens Coletivas

Blogagem Coletiva: A primeira viagem da nossa família

Esse post surgiu da sugestão da Claudia Rodrigues, do blog Felipe, O Pequeno Viajante no grupo Viagens em Família, onde várias mães (e pais também) falam sobre viagens com seus pequenos. E agora os blogueiros do grupo estão “engajados” para escrever o post sobre A PRIMEIRA VIAGEM DA NOSSA FAMÍLIA. E hoje estamos aqui para isso.

Nossa primeira viagem em família foi justamente para a… Disney, é claro! Antes dessa viagem, já tínhamos feito coisas no interior e litoral de São Paulo com ela, mas a primeira viagem dela de verdade, de férias, de avião, foi para Orlando.

Minha filha tinha 3 anos. Mais precisamente 3 anos e 3 meses. E muitos diziam “ela é muito nova, vai esquecer tudo”. “Essa viagem é para vocês e não para ela”.

Já contei aqui como decidi que levaria meu filho pequeno para a Disney quando vi uma menina de uns 3 anos abraçando as pernas do Pateta. Foi ali, ainda solteira, que tomei essa decisão.

Poderia ter ido quando ela era menor ainda, mas a nossa ideia era que ela já conhecesse os personagens, soubesse o nome, entendesse o contexto…

E quando ela tinha um ano, os planos começaram. E a data foi marcada: janeiro de 2010. Uma viagem de 11 dias. E tudo foi se concretizando conforme planejado.

Durante o ano de 2009 fizemos a maior lavagem cerebral na probezinha: só rolava desenho da Disney em casa. De Casa do Mickey a Cinderela. De Peter Pan a Aladdin. De Bela e a Fera a Pooh. Tudo o que era desenho da Disney a gente assistia. Assim ela conheceria todo mundo antes da viagem e ia curtir mais ainda.

Ao longo dos preparativos, o grupo, que inicialmente era de 3, foi crescendo e virou um grupo de 12 pessoas, entre familiares e amigos. Optamos pelo voo da TAM, pois é o único sem escalas para Orlando saindo de São Paulo. Seria um voo diurno. Primeiro voo da nossa filha, de mais de 8 horas e ainda diurno… como isso ia ser?

E o primeiro perrengue já aconteceu no aeroporto: deu um problema em todo o sistema da Infraero e o check-in, de todas as companhias aéreas pararam. Ficamos mais de uma hora parados na fila sem dar um passo sequer.

O check-in passou a ser manual e portanto sem marcação de assento. Já entramos em desespero… como íamos nos acomodar em 12 no avião? A fila ainda estava bem grande, então imaginamos “vamos logo para o avião, enquanto esse povo está aqui”… Tolinhos!!! O voo já estava lotado… A maioria veio de outros estados e já estava com check-in feito desde suas cidades de origem.

Resumindo: sentamos onde deu. Tudo separado… Eu sentei com a minha filha em dois assentos de um lado da aeronave e meu marido lá do outro lado com a minha irmã. E os demais praticamente nem vi o voo inteiro. Logo pensei: “esse treco vai ser um caos; minha filha vai querer ficar andando, vai atrás da tia e do pai o tempo todo e eu vou ter um chilique…”

E por incrível que pareça ela parecia gente grande. Não deu nenhum trabalho. Ficou praticamente o tempo todo sentadinha, dormiu um pouco, tomou um leitinho e só quis o pai e a tia uma única vez. E as 8 horas passaram rapidinho, mesmo sendo de dia. Primeira etapa concluída com sucesso!

Chegamos a Orlando à noite, pegamos nosso ônibus para o hotel da Disney e só nos restava dormir. O segundo desafio estava por vir: as temperaturas. O inverno foi muito rígido naquele ano e pegamos muito frio. Alguns dias as temperaturas eram negativas pela manhã e à noite. Era muito difícil! O frio e o vento nos parques eram de derrubar até os adultos.

Minha filha nunca tinha pego tanto frio! E o medo que ela ficasse doente! E ela sempre odiou muita roupa, então vesti-la de manhã era um problemão, pois ela chorava que não queria colocar o casaco, que a meia calça por baixo estava incomodando, que o cachecol coçava, que o gorro atrapalhava… Era um saco!!!

Ela saía com tanta roupa, que andava até torta… Mas essa etapa foi concluída também, mesmo com esses pequenos “desvios”!

Comer foi outro problema. Aliás, para falar a verdade, comer não é o forte dela. Ela sempre comeu de tudo, mas em quantidades mínimas. Aí acontecia de dormir no carrinho, bem na hora das refeições. Tentávamos acordar, mas não queria comer… E saia vários rolos!!! Fora os pratos “levemente” apimentados. Ela estranhou esses condimentos fortes… Foi outra loucura! Mas sobreviveu; não morreu de fome! Terceira etapa concluída com sucesso.

Ah! Por falar em carrinho, ela não usava carrinho para mais nada na vida, mas para lá levamos um. Ela não aguentava andar tanto e ainda mais com o frio… Então colocávamos a pequena lá dentro, cobríamos com uma manta ou algum casaco, e ela ficava lá dentro só com a cabeça de fora.

O único problema era tirar a criança do carrinho quando estava dormindo: um segura, o outro fecha o carrinho, alguém segura as sacolas, onde está minha mochila?, quem pegou a chupeta?, a máquina fotográfica está com quem? e finalmente conseguíamos embarcar no ônibus ou carro. Ainda bem que éramos em 12 :) Desafio transporte atingido com êxito.

Um dos dias esquecemos a chupeta (que ela só abandonou de vez 2 meses depois da viagem) no hotel. Ninguém falou nada, mas sabíamos que a qualquer momento ela lembraria, pois ia querer dormir. Estávamos no Magic Kingdom terminando o almoço e… “mãe, quero minha pepeta”. E como diz aquela música da Maysa: “meu mundo caiu…”.

Todos se olharam, e ela de novo “mãe, cadê minha pepeta?”. E todos tentando disfarçar e fingindo que não estávamos ouvindo, mas depois do terceiro “mãe, me dá minha pepeta”, percebi que algo deveria ser feito. Lá sai a mula velha da mãe no meio do almoço, cruza o parque inteiro até o Baby Care para comprar uma chupeta. Só que eles só tinham chupetas com bico de látex e ela sempre usou de silicone. No melhor estilo “não tem tu,vai tu mesmo” comprei aquela e cruzei o parque inteiro novamente para encontrá-los no restaurante.

Com isso a sobremesa já tinha chegado. Entreguei a chupeta e mergulhei no meu doce. Ela colocou a chupeta na boca, deu duas chupadas e eu ouço aquela voz assustadora vindo de longe “dessa eu não gosto”. Para mim parecia que o mundo estava em câmera lenta… Comendo o doce eu estava, comendo o doce eu permaneci… Minha irmã me cutucou e disse “você ouviu essa?”. E eu, ainda no doce dando aquela disfarçada disse “ouvi, mas estou fingindo que não”. Ela ainda reclamou mais algumas vezes, viu que ninguém deu bola, pegou a chupeta novamente e voltou a chupar. Ufa! Desafio da chupeta superado!

Mas só foram problemas? De jeito nenhum… Foi a coisa mais linda do mundo!!! Foi tudo tão maravilhoso! A carinha dela quando encontrava os personagens era de entusiasmo e surpresa. Os olhinhos enquanto assistia as paradas e os shows, brilhavam mais que os fogos do castelo! O jeito dela falando “quero ir de novo” a cada atração que terminava, era muito engraçado.

Vê-la se transformando em princesa na Bibbidi Bobbidi Boutique, apesar de over, foi lindo, porque é o sonho de qualquer menina e ela estava encantada e maravilhada. Se sentia super importante!

Quando ela estava na fila para tirar foto com o Mickey, o viu lá na frente e começou a pular falando “é ele, é ele…”, arrancou lágrimas de todos. Quando ela encontrou a Margarida, ficou fazendo carinho, enquanto seu caderninho era autografado. Quando viu a Branca de Neve parecia que ia entrar em transe…

Com medo do Stitch, abraçando os Monstros, cumprimentando o Buzz, aconchegada no Príncipe Naveen, “voando” com o ET…

Esses momentos não sairão da nossa memória nunca!!! E hoje percebemos que os palpiteiros de plantão tinham razão: aquela viagem era para nós; para nós lembrarmos para sempre das emoções que vivemos lá com ela. E a partir daí iniciamos nossas andanças por aí: Fortaleza, Bariloche, Rio de Janeiro, Paris, mais Disney… Tudo com ela. E ela é sempre uma ótima companhia. E que venham muitas outras, por sinal!

Fazem parte dessa blogagem:

-Cláudia Pegoraro do Felipe, o Pequeno Viajante foi para o Canadá
– Adélia Lundberg do Paris des Petits foi para a Côte d´Azur, na França.
– Adriana Pasello do Diário de Viagem foi para São Paulo.
– Cláudia Müller Boemmels do Eu sei Onde foi para Lugano, na Itália.
– Luciana Misura do Colagem foi para o Michigan, nos Estados Unidos.
– Sut-Mie Guibert do Viajando com Pimpolhos foi para a Visconde de Mauá.
– Mônica Nogueira do M de Mônica…e Mãe… foi para Mogi das Cruzes.
– Debora Galizia do Viajando em Família foi para Orlando.
– Karen Reimer das Aventuras da Ellerin Viajante foi para Buenos Aires.
– Michely Lares das Viagens da Família Lares foi para Orlando.
– Renata Luppi da Mala Inquieta foi para Salvador.
– Patricia Papp do Coisas de Mãe foi para Alagoas.
– Cássia Virgens do Fomos juntos: de malas prontas foi para a Chapada Diamantina.
– Ligia Cantarelli do Sem vírgula antes do etc foi para Campos de Jordão.
– Carol Garcia do Viajando na Maternidade foi Barra do Sahy, SP.
– Luisa Pinto do Diário da Pikitim foi para o Alentejo, Portugal.
– Karla Alves Leal do Cariocando por aí foi para Montevidéu.
– Patrícia Tabalipa do Roteiro Baby Floripa foi para Bombinhas.
– Andrea Barros do RS para o Mundo foi para o Uruguai.
– Thiago Busarello do Vida de Turista foi para Aparecida do Norte, em SP.
– Rebecca PD do Passaporte Baby foi para São Paulo.
– Daniella Sousa Reis do André e Dani + Pedro foi para Foz do Iguaçu.

Disney com crianças
Orlando com crianças
Viagem com crianças

Já conhece os serviços da Andreza?

Já usou alguma dica nossa? Retribua nossa ajuda usando nossos serviços. São mais de 15 anos de experiência levando famílias, casais e turmas para a Disney. Agradecemos bastante!

19 comentários em “Blogagem Coletiva: A primeira viagem da nossa família”

  1. Andreza querida! Tem uma frase tua que me deixou emocionada: E hoje percebemos que os palpiteiros de plantão tinham razão: aquela viagem era para nós; para nós lembrarmos para sempre das emoções que vivemos lá com ela.
    É exatamente isso, guria! Perfeição! Que insight…Vou repetir isso muitas vezes, viu?!?!
    tb quero "preparar" o Lipe bem preparadinho para a primeira viagem à Disney, espero que seja logo, aí vou devorar teu blog inteiro (hj em dia tento nem ler muito para não dar desejo…)

    Bjos 1000!
    Claudia, @pequenoviajante

    1. Se quiser uma especialista em lavagem cerebral, tamos aí, porque aqui em casa sempre rola uma dessas. E às vésperas da Disney, então, era desenho Disney 24 horas por dia… rs
      Fico feliz que estou servindo de inspiração, ainda mais vindo de você.
      Beijão e obrigada

  2. Andreza! Adorei ler sobre sua decisão, ainda solteira!, de levar os filhotes para a Disney com exatos 3 anos! Isto sim que é sonhar e concretizar. Bj e acabei de linkar no Diário de Viagem.

  3. Excelente post e blog Andreza! Procuro sempre o seu blog e acesso ele diariamente sempre a procuro de novos posts! Também sou fã assíduo da Disney, já fui lá 3 vezes e planejo ir a 4ª, agora pela primeira vez com minha familia no meu aniversario de 19 anos! Abraços e bom trabalho

    1. Olá, Rafael,
      Fico feliz que mesmo depois de várias viagens de leitores como vocês, eu ainda consiga fazê-los ler as coisas por aqui.
      Bom demais saber disso!
      Abraço e muito obrigada

  4. Concordo com vc !! Levei meu filho com menos de 3 anos p/ a Disney tb rsrsr e ele adorou, os olhinhos brilhavam cada vez q ele via um personagem !!! Adorei o post bj Deia L Mannarino ( do facebook)

  5. Que lindooooo! Ameiiii ler sobre sua primeira viagem! Fui com meu filho com 1 ano e meio. Agora vamos ele estando com 3 anos. Ela pode andar no ET? Que lindo! Ela não teve medo?

  6. Andreza, estou me identificando muito com você! Também sou apaixonada pela Disney e acabei passando isso para toda a família. Meus filhos vão desde pequenos para Orlando e fiz como você: na primeira viagem, eles já sabiam tudo sobre os personagens. Vê-los com os olhinhos brilhando é sempre uma emoção. O mais velho já está com 13 anos e na nossa próxima viagem, em janeiro de 2015, continua querendo ficar em hotel do complexo Disney, pois segundo ele, o clima é muito bom. Nada como acordar e ver os waffles com as orelhas do Mickey no café da manhã. Um grande abraço, Ana

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *